2010-04-26

Instalação poética: Entre o Livro e a Liberdade

Uma cidade
é de papel
se nela se escrever
um poema.
Uma cidade
é de betão
se as mãos que escrevem
o poema erguerem muros
contra o silêncio.

11 comentários:

Fouad Talal disse...

Ficou muito boa essa intervenção...
Um abraço!

Lídia Borges disse...

Uma cidade de papel, maravilhosamente inscrita num poema sem muros.

L.B.

Graça Pires disse...

Um belíssimo poema a dizer poesia e liberdade.
Um abraço.

Helena Figueiredo disse...

Passo por aqui e gosto da profundidade das mensagens, escrita de forma muito bela.
Saudações
Helena Figueiredo

gabriela r martins disse...

afinal é tudo tão simples......





.
um beijo

Sónia disse...

Permaneçam os muros erguidos pelas mãos dos que escrevem poemas!

Beijinho Bilinha:)

Sónia disse...

Permaneçam os muros erguidos por aqueles que escrevem poemas!

kiss
Bilinha:)

Sónia disse...

Permaneçam os muros erguidos por aqueles que escrevem poemas!!!

big kiss
Bilinha:)

Anónimo disse...

Permaneçam os muros erguidos por aqueles que escrevem poemas!!!

big kiss
Bilinha:)

Bilinha disse...

Permaneçam os muros erguidos por aqueles que escrevem poemas!!!

big kiss
Bilinha:)

Anónimo disse...

Permaneçam os muros erguidos por aqueles que escrevem poemas!!!

big kiss
Bilinha:)