2006-01-27

Galatea das esferas

pudesse eu talhar em palavras
o teu corpo
e dizê-lo adormecido
e leve
como agora vejo
vestir de tinta a nudez
que enlouquece a mão quando pinto
e descobrir-te novamente no clamor
pudesse eu perseguir
o teu esplendor
e tu saberes ser
toda a literatura

J.M.Oliveira 25/VIII/2000

2 comentários:

Raquel disse...

Olá Zé Miguel... Como estas? Adorei este quadro... De quem é? Beijinhos grandes

lagrima disse...

O quadro é lindo!

O poema é fantástico!

Bj.